segunda-feira, 25 de junho de 2012

De onde vem o desejo por sapatos?

Os scarpin's de bico fino,salto agulha, bico redondo, salto bojudo,bico quadrado. 

e alguns outros estilos


A PSICANÁLISE de Sigmund Freud nos explica através de um conceito chamado "princípio do prazer" onde nossa mente prefere sentir prazer ao desprazer, numa relação diretamente proporcional. Mas este prazer pode ser inibido como resultado da ação da realidade.
Assim a mente cria uma forma de prazer possível que é constante, assim como o princípio do prazer, que nos leva ao conceito de fixação, ou seja, repetição de algo prazeroso que leve à repetição para prolongar este prazer.


Um amor que muitas vezes não é retribuído e deixa a mulher em situações constrangedoras.
- O salto que prende entre suas andanças por aí.
- O salto afundou na grama.
- O salto quebrou ou descolou.
- A bota deixou uma bolha horrorosa.
- O bico amassou o dedinho.
- A sandália ficou saindo do pé.
- O scarpin que machuca seu joanete, ou feriu tanto que atingiu o metatarso.

Não é possível afirmar que o motivo que leva as mulheres à compulsão por sapatos seja um só, mas a causa é sempre a mesma: fixação..........




Que leva ao mesmo princípio do consumismo que nada mais é do que uma válvula de escape prazeroso equivalente a um oásis, uma fuga dos problemas reais.
E é uma forma de prazer que insere as muitas mulheres em um mundo diferente do eu, e elas passam a sentir-se mais inseridas na atualidade, ecom isto obtém mais prazer e ser aceita.

Muitas vezes é o sapato que dará o tom da produção (e da imagem a passar).

ESTILOS e TENDÊNCIAS












 





Pois traz esta liberdade de escolha do seu próprio estilo sem fazê-la se sentir mal por caber ou não dentro dele, ou por usá-lo da cor e jeito que quiser com liberdade de escolha e continuar tranquilamente satisfeita com isso.

ESTILOS e TENDÊNCIAS























Mas o perigo é a compulsão feminina por sapatos ou o vício, que pode acometer mulheres que podem gastar com sapatos e outras que ganham pouco, mas se tornam escravas deste vício.


























Muitas correm atrás de imitações, e muitas vezes gastam o que não têm para comprar o sonhado par.









Os estilistas que ditam a moda sabem que vão convencer multidões de mulheres a engavetar ou doar modelos antigos. Seja Christian Louboutin ou Manolo Blahnik..
Dois autores dos pares mais cobiçados do planeta.

Há quem aposte que a atração seja causada pelo design das peças. São quase um objeto de "arte", que causam prazer estético semelhante ao das artes plásticas.

Mesmo a mulher mais resistente a modismos acaba abandonando aquele par que “ninguém mais usa”. Mas por que essa adoração? Os sapatos são um dos únicos itens que não exige um biótipo ideal para tê-lo. Pois tanto as gordinhas, quanto as magrelas podem usar o mesmo sapato sem discriminação alguma e por não haver restrições é que o sapato acaba sendo titulado como um item de paixão universal feminina.
Claro que umas mulheres são bem mais doentes do que outras. No mundo das celebridades, temos: 
- Christina Aguilera tem 750 pares de sapatos.
- Paris Hilton que passou de 2 mil pares.

Vencendo a compulsão (vício) por ter + e ++++ sapatos. Adquira o controle:
1o) Entenda o motivo. Comprar sapatos disfarça o vazio ou o tédio de sua vida, se respondeu sim, pense: admitir a verdadeira causa de sua obsessão é o primeiro passo para se recuperar.
2o) Pense friamente em vez de ignorar a razão. Você sabe, no íntimo, que não é saudável gastar R$ 3 mil num par de sapatos de bico pontudo com saltos desconfortáveis a ponto de machucar seus dedos dos pés ou fazer você torcer o tornozelo. E mesmo assim você insiste. Tente espalhar pela casa, colar no espelho ou no armário fotos de seus calos ou de dedos de famosas aleijados por sapatos infames.
3o) Recorra a alternativas para superar o vício.
4o) Identifique suas zonas de risco. Almoços, dias de pagamento do salário. Não passe em frente a vitrines de sapatos nessas ocasiões.
5o) Mude seu estilo de vida, seus hábitos.
6o) Seja responsável e peça ajuda ou entre num tratamento se necessário.
7o) Dê a você o prêmio que merece. Curar-se de um vício pode ser muito difícil, mas é possível. Dê a você mesma um prêmio. Reconheça seu esforço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário